sábado, 15 de fevereiro de 2014

O que é o Queratocone?

O Queratocone é um distúrbio ocular degenerativo, que implica modificações estruturais importantes da Córnea. O nome Queratocone advém do Grego Kerato – Córnea , Conus – Cone , por isso, Córnea cónica, a estrutura assume uma protuberância normalmente central/inferior, e que clinicamente é designada por ectasia. No Queratocone, embora um dos olhos apresenta uma maior saliência, maioritariamente o olho esquerdo, ambos os olhos são acometidos pelo distúrbio. Não existe total consenso sobre a sua causa, embora a maioria dos estudos referem uma relação de Hereditariedade. 

 Como resultado do seu aparecimento, a córnea apresenta uma redução significativa da sua espessura no ponto central da protuberância, e a medida que progredi induz uma importante distorção de imagem, quantificada através de Astigmatismo e Miopia associados. A correcção inicial é efectuada através de óculos, embora os resultados alcançados com lentes de contacto sejam mais favoráveis. As lentes de contacto permeáveis aos gases, também designadas semi-rígidas, são de primeira eleição para a correcção do estado refractivo do paciente. Estas lentes devem encaixar totalmente sobre o apéx do cone, para não danificá-lo e também, apresentar estabilidade na porção restante da córnea. 

O excesso de movimento da lente, normalmente associado a má relação existente entre a periferia da córnea e as curvas da lente, induz a sensação de corpo estranho e a rejeição do paciente a adaptação. Uma vez bem adaptada, o somatório, córnea, lágrima existente por debaixo da lente e lente, dão origem a uma nova estrutura solidária e regular, que corrige o erro refractivo ocular existente e o paciente sente-se confortável. Por isso, se apresentar dificuldade de adaptação a sua lente, isto pode significar uma adaptação inadequada. Hoje, no Centro Ortoqueratológico, adaptamos lentes propositadamente desenhadas com base na curvatura periférica corneal apresentada pelo paciente, isto, só é possível através da Queratoscopia Computorizada, que permite obter um mapa da provável curvatura corneal do paciente. 

Com este tipo de lente conseguimos elevar o número de adaptações com sucesso e reduzir o número de visitas para adaptação. Contudo, existem pacientes mais sensíveis que optam pela nossa lente hidrófila para queratocone, normalmente são pacientes que não se adaptaram as lentes semi-rígidas e que inclusive, estão traumatizados pela experiência negativa passada com lentes de contacto. A adaptação destas lentes é praticamente imediata, bem como, a recuperação da visão. Estas lentes são hidrófilas e em nada se assemelham as Híbridas que possuem uma zona central permeável aos gases ou semi-rígida e parte periférica hidrófila. Por fim, existe também a possibilidade de adaptamos lentes permeáveis aos gases ou semi-rígidas, do tipo semi-escleral ou escleral, falamos de lentes de diâmetro compreendido entre os 15 e 18 mm, para os casos em que existe algum grau de olho seco associado ao problema. 

 Quando as etapas anteriores falham, resta como alternativa para o queratocone o implante de segmentos semi-circulares de PMMA, designado INTACS ou também Anéis de Ferrara. O objectivo é recuperar a acuidade visual do paciente através das modificações corneais de aplanação e de aumento de espessura central e se caso o resultado seja limitado, permita o uso de óculos ou lentes de contacto para o seu aperfeiçoamento. Contudo, pode não impedir o transplante de córnea, última fase do processo evolutivo da doença. O Queratocone surge habitualmente na adolescência e estabiliza entre a terceira e quarta década de vida. 

Retirado daqui
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Recomendamos ...